Paulo nesta passagem da carta aos Hebreus chama a atenção, para o caráter respeitoso e venerado do matrimônio, a atenção e cuidado com aquele que elegemos para compartilhar em regime de vivência mútua, daí a necessidade de um leito sem mácula, que significa livre de impureza, sem manchas, sem desonra.

Assim, devemos nos atentar e refletir sobre a responsabilidade dos compromissos que assumimos com a criatura no campo da assistência mútua. Em passagens da leitura de Emmanuel em Vida e Sexo, cap 7 Casamento e em Levantar e Seguir, cap 7 Matrimônio, Emmanuel nos chama a atenção que entre os compromissos da Terra, permanece o do matrimônio como um dos laços mais santos, em que os lares são também os lugares santos que vão padecendo transformações. E que a solução essencial dos problemas humanos deve proceder do “leito sem mácula”, pilar da organização sociológica que desejais para os vossos dias.
Chama a atenção também que a união deve refletir as Leis Divinas que permitem seja dado um coração para outro coração, na criação e desenvolvimento de valores para a vida. Assim se torna imperioso, que a ligação se baseie na responsabilidade recíproca, não havendo qualquer desconsideração entre si. Nas suas palavras:

    Quando a criatura for respeitada em seu foro íntimo, para que o amor se consagre por vínculo divino, muito mais de alma para alma que de corpo para corpo, com a dignidade do trabalho e do aperfeiçoamento pessoal luzindo na presença de cada uma, então os conceitos de adultério e prostituição se farão distanciados do cotidiano, uma vez que a compreensão apaziguará o coração humano, e a chamada desventura afetiva não terá razão de ser. (Emmanuel, Vida e Sexo, p. 89)

Por outro lado, conforme Emmanuel, quando as obrigações mútuas não são respeitadas no ajuste, a comunhão sexual injuriada, costuma gerar dolorosas repercussões na consciência estabelecendo problemas cármicos de difícil solução, considerando que ninguém fere alguém sem ferir a si mesmo.
Dessa forma, tarde ou cedo, os homens e as mulheres, desviados das obrigações divinas, voltarão à simplicidade inicial para tornarem a apreender no livro da abnegação e do respeito a Deus, onde cada um terá oportunidade de reparar perante as leis de causa e efeito, de forma que não se façam salteadores impunes na construção do mundo moral, porque a existência não é um feriado para indisciplinas, mas um dia de trabalho santo em que o Espírito deve entrar na posse de sua herança eterna, entre as bênçãos de luz e paz da alegria de viver.

Referências:
Emmanuel/Xavier F. C- Vida e Sexo. Cap, 7 Casamento. FEB, 2017
Emmanuel/Xavier F. C. Levantar e Seguir, cap 7. Matrimônio